Salte para o conteúdo principal

O futuro do trabalho no sector dos produtos químicos e dos materiais

Aperfeiçoamento do local de trabalho químico

Atualmente, a força de trabalho do setor químico está a sofrer mudanças exponenciais em várias frentes. Quer seja devido ao crescente défice de competências, à rápida evolução da tecnologia ou ao impacto continuado da COVID-19, a indústria química e de materiais tem de sofrer transformações significativas em quatro vertentes - sustentabilidade, digitalização, carreiras recodificadas e agilidade organizacional - se quiser adaptar-se ao futuro do trabalho.

Reacções em cadeia na indústria química

No atual mundo de perpétua disrupção está a mudar paradigmas em todas as indústrias e a impulsionar as empresas a reimaginar como será o futuro do trabalho - e o futuro do talento. A indústria química não é exceção. As empresas químicas estão a assistir a mudanças significativas no trabalho, na força de trabalho e nas ortodoxias do local de trabalho por várias razões. Estas incluem:

O défice de competências

Atualmente, não se espera que haja suficientes licenciados em ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) para preencher cargos qualificados de engenheiros químicos, investigadores e cientistas. Além disso, é provável que 25% da força de trabalho da indústria se possa reformar nos próximos cinco anos, aumentando ainda mais a lacuna e tornando muito mais urgente a reimaginação das estratégias de atração e retenção de talentos.

A evolução da tecnologia

Tecnologias, como a inteligência artificial (IA) e a robótica, estão a alterar rapidamente os locais de trabalho do setor químico e a criar mudanças nas funções profissionais. A I&D e as soluções e serviços especializados para os clientes tornaram-se os factores de diferenciação na capacidade competitiva das empresas. A questão é: como pode o avanço tecnológico pode ser utilizado, não como um substituto, mas como uma chave para libertar o potencial humano?

O impacto contínuo da COVID-19

As disrupções digitais, que surgiram com a pandemia, nos mercados dos transportes, computadores e eletrónica, semicondutores, agricultura, habitação e construção estão a afetar os modelos de negócio e a alterar o futuro do trabalho no setor químico. Além disso, a recessão económica da COVID-19 não só está a levar as empresas de especialidades químicas em rápido crescimento a competir com indústrias relativamente estáveis, mas também a abrandar o emprego.

Tendo em conta estes desafios e as mudanças nas perspectivas do sector químico, as empresas devem rearquitectar o trabalho, potenciar a força de trabalho e adaptar o local de trabalho. O nosso mais recente estudo oferece quatro catalisadores de transformação - sustentabilidade, digitalização, carreiras recodificadas e agilidade organizacional - que podem ajudar a atrair talentos e impulsionar as empresas químicas para o futuro.

Sustentabilidade

Ao ajudar a resolver os desafios de sustentabilidade enfrentados pelas indústrias end-use, as empresas químicas podem posicionar-se melhor para o futuro e atrair novos talentos. Além de investirem em novas tecnologias e desenvolverem novos materiais, as empresas químicas podem querer considerar a contratação de colaboradores com competências técnicas adequadas e transmitir o conhecimento institucional da organização sobre questões ambientais, sociais e de governação (ESG).

Digitalização

Atualmente, muitas empresas químicas estão dotadas de tecnologia e utilizam-na como um ativo crítico para desbloquear a transformação e permitir mudanças organizacionais com colaboração em tempo real. Encontrar o equilíbrio certo entre humano e máquina é fundamental para ajudar a aumentar a produtividade, o propósito e os resultados finais.

Carreiras recodificadas

As empresas do sector necessitam de uma mão de obra altamente formada e qualificada, capaz de apresentar abordagens inovadoras para causar disrupção e liderar os mercados. O sector está a passar por uma mudança significativa nos perfis de trabalho e nas competências necessárias no futuro. As organizações devem concentrar-se tanto na atração de novos trabalhadores qualificados como no desenvolvimento da sua atual força de trabalho em antecipação.

Agilidade organizacional

Uma grande oportunidade para as empresas químicas reside na exploração de novas fontes de valor para se manterem competitivas no mercado em rápida mutação. Com esse objetivo, devem considerar a possibilidade de ir além do custo como fator de valor e redirecionar a sua atenção para os seus clientes, trabalhadores e empresa.

Novas realidades exigem novos talentos

As disrupções provocadas por avanços tecnológicos, alterações demográficas e mudanças nas expectativas dos clientes já não são uma interrupção do padrão - são o padrão. Perante esta realidade, espera-se que o papel dos líderes da indústria mude drasticamente, satisfazendo as necessidades únicas do futuro do trabalho no setor químico.

No entanto, uma reimaginação completa e eficaz da estratégia de talentos pode exigir uma mudança radical de pensamento. Embora seja provável que as competências técnicas e de engenharia convencionais continuem a ser essenciais, uma confluência de fontes tradicionais e não tradicionais para criar e cultivar talentos ajudará a criar a reserva de talentos necessária para competir no futuro.

Quando a liderança capacitar a sua força de trabalho para conduzir e moldar o futuro, o caminho para a transformação de talentos será provavelmente amplamente abraçado. Os executivos da indústria terão de atuar como catalisadores para tornar os produtos químicos um local atrativo e estimulante para construir uma carreira. Deverão agir agora para criar as capacidades organizacionais críticas necessárias para atrair, desenvolver, empregar e reter talentos de alta qualidade. Leia o nosso relatório completo para saber mais sobre o que os profissionais nestes cargos podem fazer para defender esta transição inevitável.

Did you find this useful?

Thanks for your feedback

Se quiser ajudar a melhorar o site Deloitte.com, por favor preencha um formulário Inquérito de 3 minutos