Skip to main content

CFO Survey 2023 Spring

Room to breathe, room to think.

Chegou o momento dos CFO’s se manterem vigilantes, ágeis e perspicazes na navegação em tempos de incerteza.

Os primeiros meses de 2023 foram consideravelmente melhores que o esperado pelos CFOs europeus. É o que indica a nova edição do relatório CFO Spring Edition 2023, da Deloitte.

A invasão da Ucrânia, em fevereiro de 2022, causou perturbações no abastecimento e a subida dos preços de muitos produtos de base vitais. Não era claro como a Europa iria atravessar os meses de inverno. O racionamento de energia, que teria prejudicado a produção económica, parecia provável, mas a Europa ultrapassou o temido inverno e a atividade económica resistiu melhor do que o previsto. Os mercados de trabalho mantiveram-se robustos e as empresas estão mais saudáveis do que as previsões dos seus próprios diretores financeiros.

Apesar do cenário positivo, o otimismo é cauteloso, e a sensação de que a incerteza continua elevada, com a persistência de riscos geopolíticos e económicos.
 

Perspetivas financeiras
O relatório demonstra que as empresas europeias estão muito menos preocupadas com as suas perspetivas financeiras do que no outono e, em média, estão ligeiramente otimistas. Seguindo a tendência europeia, os CFOs em Portugal também aumentaram significativamente a sua confiança.
 

O mercado
Apesar dos muitos riscos, os diretores financeiros europeus estão mais confiantes em relação aos indicadores-chave futuros. Prevê-se que as receitas aumentem fortemente nos próximos 12 meses, com mais de 60% dos inquiridos a esperarem receitas mais elevadas e apenas 19% a esperarem uma diminuição das receitas, o que resulta num saldo líquido de +44% e numa melhoria considerável de 26 pontos percentuais em relação ao outono.
Os CFOs portugueses apresentam uma perspetiva mais forte em termos de receitas, margens operacionais, despesas de capital e contratação, em comparação com os seus homólogos europeus, sendo um dos países mais otimistas da Europa.
 

Estratégia
O crescimento nos mercados existentes, a digitalização e o crescimento orgânico são as três principais prioridades estratégicas dos CFOs em Portugal para os próximos 12 meses, representando uma abordagem menos defensiva quando comparada com os restantes países. A digitalização tem sido consistentemente uma das estratégias mais relevantes nas últimas edições deste relatório, continuando a demonstrar o foco dos CFOs portugueses na criação de valor sustentado para o negócio a longo prazo.
 

Estratégias para os riscos nas cadeias de abastecimento
Embora as preocupações com a cadeia de abastecimento se tenham tornado um pouco menos graves nos últimos meses, continuam a manter os CFOs ocupados. Os CFOs portugueses estão a seguir a mesma linha de prioridades que os CFOs europeus, e o aumento da utilização de ferramentas digitais (de planeamento) é agora a principal ação estratégica a tomar (75%), seguida da diversificação de fornecedores e rotas de distribuição (56%), do aumento da colaboração com os fornecedores (46%) e de testes de stress ou de cenários (18%).
 

Incerteza e “pegada” global
A maioria dos CFOs europeus (65%), continua a considerar que o nível de incerteza financeira e económica externa é elevado, mas este valor é consideravelmente inferior aos 81% registados no outono de 2022. O saldo líquido, de +62%, está próximo da sua média histórica. Em Portugal, a taxa é praticamente igual desde o outono passado, com 75% dos CFOs a considerarem que existe um elevado nível de incerteza (vs. 76% no outono passado). Tal como os seus pares europeus, os CFOs em Portugal estão mais interessados em expandir-se nos mercados da Europa Ocidental, do Sul e do Norte, bem como na América do Norte.
 

Para conhecer em detalhe os resultados do CFO Survey 2023, descarregue o relatório completo.

Did you find this useful?

Thanks for your feedback

If you would like to help improve Deloitte.com further, please complete a 3-minute survey