Salte para o conteúdo principal

2023 Chemical Industry Outlook

Encontrar a fórmula para a transformação da indústria química

A disrupção de 2022 ajudou a indústria química a posicionar-se para liderar a futura transformação dos materiais. No entanto, com indicadores macroeconómicos como a volatilidade dos preços da energia, o aumento dos custos e a fragmentação dos padrões comerciais a assinalar a incerteza na economia global, como podem as empresas planear a superação de potenciais ventos contrários e posicionar-se para um futuro brilhante a longo prazo? As nossas perspetivas para a indústria química em 2023 exploram quatro tendências que são prioritárias para os líderes empresariais no próximo ano.

A transformação dos materiais está a chegar - 2023 poderá ser o palco

A pista de corrida em que as empresas químicas dos EUA correm foi dramaticamente alterada em 2022, definindo a trajetória para a próxima grande mudança e maior sustentabilidade na indústria química. Esta evolução irá provavelmente continuar em 2023, no meio de uma nova política industrial emergente nos Estados Unidos, da evolução das preferências dos consumidores, dos desafios da cadeia de fornecimento e da incerteza económica. Mas as empresas químicas têm vindo a gerir uma boa "caixa de guerra" para estes tempos incertos. Como indústria, as empresas nos Estados Unidos tiveram um bom desempenho nos últimos anos.

Os produtores químicos podem desempenhar um papel crucial no combate eficaz às alterações climáticas. Os produtos químicos e os materiais são omnipresentes no estilo de vida moderno e, para que os produtores químicos operem num cenário geopolítico global em evolução, haverá uma forte necessidade de fazer mudanças fundamentais, de forma proativa ou reativa. No próximo ano, as empresas químicas terão, provavelmente, de planear os desafios — desde a inflação global à volatilidade dos preços do petróleo. Esta combinação pode fazer de 2023 um ano importante para uma mudança estratégica. Abaixo, explore as quatro tendências que provavelmente influenciarão a direção da indústria nos próximos 12 meses.
 

Quatro tendências da indústria química a observar

 

Para saber mais sobre estas tendências, faça download do relatório completo.

 

Integrar a inovação e a sustentabilidade para ir além da redução das emissões

Os produtores globais de produtos químicos precisam de se concentrar nos seus objetivos declarados de redução de emissões para atingir as suas metas para 2030, começando com as emissões de scope 1 e 2 e, em muitos casos, conduzindo a reduções notáveis também no scope 3. E para impactar o ecossistema mais amplo, esses esforços devem ir além da redução, de modo a aproveitar alternativas de materiais ou produtos em uma escala maior. No entanto, a obtenção dos resultados desejados irá provavelmente exigir capacidades e abordagens adicionais para além das necessárias para a invenção de novos materiais.

As ações a curto prazo no âmbito da carteira posicionam o setor para uma transformação a longo prazo

A caminho de 2023, o setor químico encontra-se numa posição financeira sólida. O próximo ano poderá ser um ponto de viragem, em que as empresas darão ênfase à viabilidade a longo prazo das carteiras de produtos no contexto da sustentabilidade, numa tendência para a realização de negócios orientados para os ativos. Esta tendência demorará mais tempo a ganhar escala, dada a incerteza em torno dos preços das matérias-primas, da procura de energia, da cadeia de fornecimento e da procura do mercado final, o que afeta o apetite dos compradores estratégicos. Mas as bases para esta mudança estão a ser lançadas no ambiente atual.

Reestruturar para equilibrar custos, pegada de carbono e resiliência

No próximo ano, a reavaliação das estruturas das cadeias de fornecimento será fundamental para que os produtores consigam dar resposta à escala de mudanças necessárias para a próxima década. De um modo geral, as cadeias de fornecimento terão de equilibrar os custos e a pegada de carbono, ao mesmo tempo que gerem a resiliência - um ato difícil que exigirá que as empresas considerem estratégias marcadamente diferentes das das últimas três décadas.

As tecnologias emergentes impulsionam as melhorias na cadeia de valor e a sustentabilidade

A implementação digital está a mudar o panorama de tomada de decisões dos produtores de produtos químicos. No entanto, a curto prazo, o foco será colocado na estabilização das atuais plataformas e capacidades, com a intenção de rentabilizar o atual conjunto de investimentos antes de se expandir para novas áreas. Os produtores podem utilizar cada vez mais as tecnologias digitais para potenciar a inovação dos materiais e acelerar as formulações de baixo custo, avaliando, otimizando e assimilando as receitas dos ingredientes e o conhecimento do domínio.

Did you find this useful?

Thanks for your feedback

Se quiser ajudar a melhorar o site Deloitte.com, por favor preencha um formulário Inquérito de 3 minutos