Skip to main content

2023 Oil and Gas Industry Outlook

Investir no futuro da energia

O sector do Petróleo e Gás obteve lucros recorde em 2022, proporcionando um amplo fluxo de caixa para financiar as suas estratégias em 2023. E embora as empresas de O&G (Oil&Gas) reconheçam a incerteza geopolítica e macroeconómica no próximo ano, também lhes foi dado um mandato claro para garantir o fornecimento a curto prazo, enquanto fazem a transição para uma energia mais limpa a longo prazo. O nosso Outlook para 2023 exploram cinco tendências que podem ajudar a definir o caminho a seguir pelas empresas de O&G.

Iluminando novas possibilidades

Embora o sector do petróleo e do gás não seja novo no que diz respeito às perturbações do aprovisionamento e à volatilidade dos preços, a situação atual é única. Uma confluência de factores económicos, geopolíticos, comerciais, políticos e financeiros exacerbou a questão do subinvestimento e desencadeou um reajustamento no mercado energético em geral. Em consequência, as três componentes de uma equação energética equilibrada - segurança energética, diversificação do aprovisionamento e transição para uma economia de baixo carbono - enfrentam atualmente um "trilema" de preocupações.

Embora o impacto imediato deste desequilíbrio se traduza em preços elevados da energia e em fluxos de caixa recorde para as empresas do O&G, a forma e o local onde o setor irá investir no futuro permanecem incertos.

É provável que o sector O&G entre em 2023 com o seu balanço mais saudável e com uma disciplina de capital contínua. A positividade desta situação reflecte-se no nosso inquérito, no qual 93% dos executivos da O&G afirmam estar optimistas em relação ao sector no próximo ano. Esta dinâmica poderá ajudar as empresas a ultrapassar o subinvestimento no sector da energia dos últimos anos e a permitir uma transição energética acelerada. Explore as cinco tendências abaixo, que irão provavelmente influenciar a direção da indústria nos próximos 12 meses.

Cinco tendências a observar no setor do petróleo e do gás

 

Balanços saudáveis criam oportunidades para o petróleo e o gás

Ao praticar a disciplina de capital e ao concentrar-se na geração e pagamento de fluxos de caixa, prevê-se que a indústria upstream global gere os seus fluxos de caixa livres mais elevados de sempre, no valor de 1,4 biliões de dólares, até ao final de 2022 (a um preço anual presumido do petróleo Brent de 106 dólares por barril). Agora, todos os olhos estão postos nas empresas upstream para ver se continuarão a dar prioridade aos pagamentos aos accionistas ou se aumentarão a sua taxa de reinvestimento de hidrocarbonetos, impulsionados pela urgência de fornecer energia acessível ao mundo.

As novas políticas deverão acelerar a transição para as energias limpas

As políticas de apoio, em combinação com fluxos de caixa mais elevados em 2022, permitiram às empresas do O&G aumentar o investimento em energias limpas. Embora se preveja que este investimento continue a aumentar, vários fatores poderão influenciar o ritmo de investimento ou mudar o foco da energia limpa nos próximos 12 meses

Novas políticas e investimentos poderão reforçar o papel do gás natural na transição para as energias limpas

Prevê-se um aumento do investimento no gás natural em 2023, incluindo investimentos que reduzem a intensidade de gases com efeito de estufa do gás natural e das infraestruturas conexas. Nos Estados Unidos, está a ser produzido mais gás natural com vista a reduzir as emissões de carbono e de metano e a exportar fornecimentos adicionais, especialmente para a Europa. Prevê-se que o gás natural certificado e o GNL neutro em carbono continuem a aumentar em 2023.

 

As refinarias respondem às mudanças na procura de energia

No próximo ano, as refinarias poderão debater-se com o enfraquecimento da procura, as preocupações com a recessão e um aumento projetado de 1,6 mbpd na capacidade de refinação global. Nomeadamente, não se espera que as refinarias sediadas nos EUA aumentem a sua capacidade de refinação, uma vez que dão prioridade à saúde financeira, optimizam as operações e convertem as refinarias para produzir combustíveis renováveis.

As negociações reflectem as tendências mais gerais do mercado

Embora os fluxos de caixa recorde previstos e o interesse renovado nas indústrias de recursos sejam um bom presságio para a Oil & Gas M&A, a disciplina de capital e um ambiente económico incerto irão provavelmente manter M&A sob controlo em 2023. De acordo com o nosso inquérito, 27% dos executivos destacam os preços elevados e estáveis da energia como fundamentais para manter a dinâmica de M&A em 2023.

Did you find this useful?

Thanks for your feedback

If you would like to help improve Deloitte.com further, please complete a 3-minute survey

Recomendações

Filter by region:
All
  • All