Pular para o conteúdo principal

Como as soluções em nuvem potencializam a agenda ESG e impulsionam os negócios

Especialistas da Deloitte analisam como as soluções em nuvem podem ajudar a alavancar suas agendas relacionadas a temas ambientais, sociais e de governança.

Por Maria Emilia Peres, líder das Ofertas Integradas da Deloitte Brasil para Clima, Sustentabilidade & Equidade, e Eduardo Guerreiro, sócio de Consultoria da Deloitte.

 

A visão de que a adoção das práticas de cloud são um custo e não um investimento é algo que não condiz mais com a atualidade. Hoje em dia, cloud é considerada fundamental para a otimização e transparência das operações, sendo indispensável para que as organizações continuem competitivas e com crescimento sustentável. No entanto, para que isso se torne uma realidade, é preciso que as organizações entendam como as soluções em nuvem podem ajudar a alavancar suas agendas relacionadas a temas ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês).

A migração de operações para nuvem ainda é pouco explorada nesse contexto e pode ser particularmente estratégica para otimizar a governança corporativa. A adoção da nuvem impacta desde a gerência até o C-Level, não se restringindo somente ao TI, da mesma forma que os resultados positivos dessa mudança permeiam por todas as esferas da organização, indo muito além da redução de custos.

Com cloud, as empresas passam a contar com ferramentas avançadas de monitoramento e análise de dados e, assim, podem acompanhar em tempo real o consumo de recursos e identificar oportunidades de aperfeiçoamento - auxiliando a tomada de decisões estratégicas a partir da gestão mais eficiente de recursos e tempo.

Um outro exemplo de aplicação, é a inclusão da nuvem nas plataformas para aumentar a eficiência da automação de processos facilitando a adaptação das empresas a normas e regulamentações.

Vale ressaltar que, sem uma boa governança, fica impossível avançar em outros itens que compõem o ESG, e implementar de maneira eficaz e consistente esses critérios, permite que as empresas avancem em suas jornadas de transformação de maneira mais sintonizada com o futuro. A implementação de tecnologias cloud, pode tornar esse avanço rumo à modernização muito mais rápido.

A “nuvem verde” em prol da sustentabilidade

Sob o prisma das práticas sustentáveis, a nuvem permite que as empresas façam relatórios customizados e precisos de sustentabilidade, além de ser uma alternativa de baixo carbono em comparação às tecnologias mais tradicionais, reduzindo significativamente as emissões de CO2 e desenvolvendo soluções inovadoras para problemas ambientais, como por exemplo:

  • Otimização de rotas de transporte;
  • Monitoramento de recursos naturais;
  • Redução de emissões de gases;
  • Análise e identificação de oportunidades de eficiência energética.

A utilização de cloud em ESG vai além das plataformas de computação mais sustentáveis, como o uso de drones com inteligência artificial (IA) para monitoração de infraestruturas de parques eólicos e linhas de transmissão, e, a modelagem de cenários de riscos climáticos para setores da mineração, manufaturas e bancário. Em todos os casos, o uso gera um bom processamento do alto volume de dados, que faz com que essas informações auxiliem na tomada de decisões estratégicas.

Por meio da iniciativa Green Cloud, conseguimos ter a dimensão do potencial transformador da nuvem, especialmente com o uso de programas robustos ligados à geração de gases poluentes, já adotado por grandes companhias como petroleiras, mineradoras e montadoras, mas as empresas pequenas e médias, como do setor de serviços, ainda não possuem uma visão clara sobre o assunto.

O ESG transcende o modismo de apenas pensar em créditos de carbono, oferecendo benefícios reais para os negócios como um futuro mais sustentável. Uma das principais vantagens é a diferenciação competitiva que faz com que a empresa se destaque como líder em ESG, consequentemente, leva a atração de clientes conscientes, a conquista de novos mercados e o efeito cascata positivo na reputação influenciando toda a cadeia produtiva.

O contexto brasileiro reflete o cenário descrito acima: grandes empresas – como as de óleo, gás e agropecuária – integrando o ESG em suas operações e, por outro lado, setores intermediários, deixando de aproveitar o potencial dessa agenda, negligenciando a governança, o que acaba limitando bastante os resultados. No entanto, esse quadro pode e deve ser revertido, especialmente quando pensamos, no impulsionamento gerado com cloud e na posição crucial que o Brasil ocupa devido à Amazônia.

Para acelerar essa jornada, é preciso uma visão abrangente do ESG e de toda sua potência aliada a tecnologias como a nuvem. E, por fim, é preciso que o mundo dos negócios se aproprie da ideia de que por meio da busca por eficiência nas questões sociais, sustentáveis e de governança é possível, sim, contribuir de maneira positiva para o desenvolvimento da sociedade.

O projeto Google Green Cloud, é uma iniciativa entre Google e Deloitte, que une as expertises para auxiliar as organizações dos mais diversos setores na migração de suas operações para fontes de energia com baixa ou neutra emissão, acelerando as iniciativas sustentáveis por meio da inovação que a nuvem proporciona.

Se o desafio é acelerar a mudança, best speed is Cloud speed.

Saiba como a Deloitte impulsiona sua organização nessa jornada de transformação.

Did you find this useful?

Thanks for your feedback

Se você quiser ajudar a melhorar ainda mais o Deloitte.com, preencha o formulário Pesquisa de 3 minutos