Skip to main content

Inquérito global sobre alienações de empresas em 2024

No meio da incerteza, novos músculos para novas possibilidades

No nosso último Inquérito Global sobre Desinvestimento Empresarial, realizado junto dos líderes em fusões e aquisições (M&A) e reestruturações, exploramos não só as últimas tendências em matéria de desinvestimento, mas também o seu papel em mutação na estratégia empresarial. Uma abordagem M&An totalmente realizada é, na realidade, aquilo a que poderíamos chamar uma abordagem M&A&D.

Tendências inconsistentes, mas um caminho mais claro para uma preparação sustentada

Com exceção de um pico relacionado com a pandemia em 2021, em que o valor total das alienações a nível mundial ultrapassou 1 bilião de dólares, o volume e o valor das alienações e cisões mantiveram-se praticamente estáveis na história recente. No ano atípico de 2021, muitas organizações alienaram ativos não essenciais para libertarem dinheiro depois de a pandemia ter abrandado e encerrado tanta atividade empresarial. O ano seguinte, 2022, trouxe um arrefecimento igualmente rápido para os níveis anteriores à pandemia, em parte porque os compradores prontos tinham sido acomodados e, em 2023, o volume e o valor diminuíram ainda mais. 

Com a perturbação mais significativa do mercado aparentemente ultrapassada, estarão as organizações a concentrar-se na preparação para o desinvestimento para 2024 e mais além? Os dados mais recentes do mercado sugerem que existe uma perspetiva positiva para uma renovada atividade de M&An, incluindo desinvestimentos, uma vez que este inquérito indicou que é provável que a negociação recupere, com menos de 2% dos inquiridos a afirmarem que as suas organizações não planeiam qualquer atividade de venda e quase 80% a anteciparem três ou mais desinvestimentos no próximo ano e meio. É provável que os vendedores se lembrem da atividade intensa de 2021 e tenham vontade de tornar as alienações uma parte mais regular dos seus planos, mas precisam de reforçar essa memória muscular com capacidades adicionais que os mantenham preparados para as alienações a longo prazo.

O desinvestimento é um instrumento fundamental na caixa de ferramentas do crescimento empresarial e as organizações que se mantêm preparadas para o desinvestimento nas suas perspetivas podem estar mais bem preparadas para beneficiar dele do que as organizações que o mantêm à distância, como um mal necessário reservado para tempos de crise. Estar preparado para o desinvestimento não significa necessariamente seguir essa via com mais frequência. Significa, sim, segui-la de forma mais eficaz, uma vez que as organizações preparadas para a alienação podem obter melhores resultados em termos de valor da transação, custo e esforço de separação, ambiguidade e preocupação das partes interessadas e oportunidades de crescimento para a organização remanescente. Quando os resultados da alienação correspondem ou excedem as expectativas, isso não acontece por acaso e a preparação faz a diferença, não só em cada transação, mas também como um aspeto contínuo da preparação da empresa para a transação. A nossa investigação sugere cinco áreas de concentração em que a prática e o desenvolvimento sustentado de competências podem fazer a diferença na preparação das organizações.

Leia o relatório completo e saiba como a sua empresa pode melhorar os resultados e sair do processo de alienação empresarial como uma empresa mais resiliente.

Sobre o inquérito

Os dados para este inquérito foram recolhidos junto de 500 indivíduos de empresas privadas ou públicas com receitas de, pelo menos, 500 milhões de dólares, que realizaram pelo menos uma alienação nos últimos 36 meses. Mais de metade (55%) dos inquiridos representavam empresas com um volume de negócios superior a mil milhões de dólares. Os inquiridos desempenhavam funções de diretor sénior ou de nível superior, sendo que a maioria dos inquiridos (80%) se encontrava na C-suite. A representação do sector foi controlada para uma distribuição equilibrada e a participação foi equilibrada nas principais regiões geográficas (Ásia, Europa e América do Norte). O inquérito foi realizado de 6 de outubro a 20 de outubro de 2023.

Did you find this useful?

Thanks for your feedback

If you would like to help improve Deloitte.com further, please complete a 3-minute survey

Recomendações

Filter by region:
All
  • All