This site uses cookies to provide you with a more responsive and personalized service. By using this site you agree to our use of cookies. Please read our cookie notice for more information on the cookies we use and how to delete or block them.

Bookmark Email Imprimir esta página

Aprender no Ensino Superior

Em pormenor

Aprender no Ensino Superior
Um Sistema Financeiro e Administrativo Integrado para a Universidade de Lisboa

Uma matéria muito abrangente

Implementar um sistema de raiz, formar, elaborar manuais, fazer um inventário

A Universidade de Lisboa é constituída por diferentes Unidades Orgânicas: a reitoria, as várias faculdades e institutos.

Estas unidades abarcam diversas áreas com variadas funções, o que criou uma natural disparidade nos procedimentos seguidos. Este facto tornou a consolidação de contas um processo moroso e complicado. Com a entrada em vigor do Plano Oficial de Contabilidade Pública na Educação (POC ED), a reitoria da Universidade de Lisboa sentiu a necessidade de contratar uma empresa que a auxiliasse na mudança e unificação de procedimentos. Em 2003 a Deloitte deu início a um dos projectos mais completos e complexos de sempre: não só montar um sistema financeiro e administrativo integrado, mas também formar, criar manuais, carregar dados e inventariar património.

Uma nova disciplina

Criar um sistema de raiz

O desafio de mudar a realidade de uma instituição é obviamente grande. É fácil perceber que desenvolver essa tarefa em 9 unidades orgânicas em simultâneo, implica uma complexidade muito superior. Em 22 meses a Deloitte:

  • Montou e implementou um sistema financeiro e administrativo integrado;
  • Deu formação sobre o sistema;
  • Unificou processos totalmente discrepantes;
  • Partilhou conhecimentos técnicos de contabilidade com os profissionais da Universidade que estavam pouco familiarizados com a área;
  • Criou manuais de procedimentos e de utilização de forma a facilitar o dia-a-dia dos colaboradores;
  • Fez todo o carregamento dos dados no sistema;
  • Elaborou o cadastro e inventário do património móvel e imóvel de toda a Universidade.

Fazer o trabalho de casa

Preparar, planear, definir

Num projecto com esta complexidade e duração, fazer o trabalho de casa é essencial: um planeamento cuidado, de forma a antecipar e resolver dificuldades e uma definição clara de papéis e responsabilidades de cada parte. A preparação de uma equipa com conhecimentos em todas as áreas abrangidas, desde Compras e Logística até aos Recursos Humanos, passando pelas Tecnologias de Informação, Processos, Engenharia Processual e Área Financeira. Tudo foi organizado e projectado para que, em Fevereiro de 2005, a Universidade de Lisboa desse início a uma nova forma de trabalhar.

Mais tempo para o que é mais importante

Uma melhor gestão da carga administrativa

Hoje, a Universidade de Lisboa tem os processos harmonizados em todas as suas áreas de actuação. Foram consideradas as especificidades de cada uma das unidades orgânicas que a constituem, para que todos se revissem no resultado final e fosse possível uma visão da Universidade como um todo, tanto a nível administrativo como patrimonial.

A Deloitte implementou sistemas que permitem obter um maior grau de controlo e sistematizar o reporting operacional e financeiro, reduzindo tempo e recursos. No final, não foram apenas os colaboradores da Universidade de Lisboa que saíram a ganhar. As várias unidades da Universidade têm agora mais tempo para dedicar à sua verdadeira missão: ensinar e cuidar dos estudantes.

Perseveranciologia

A Diferença Deloitte

Quando se pede a uma equipa com cerca de 20 profissionais para levarem a cabo um projecto durante quase 2 anos, que irá impactar directamente o dia-a-dia de mais de 60 pessoas, só um enorme sentido de perseverança pode levar a missão a bom porto.

Manter durante 22 meses a mesma energia, dedicação e rigor não é fácil. É por isso que na Deloitte seleccionamos os nossos colaboradores a dedo e somos altamente criteriosos na selecção das equipas que agregamos a cada projecto. Neste caso, um projecto que nos valeu a confiança e o reconhecimento da Universidade de Lisboa, com quem ainda hoje trabalhamos.