Este site utiliza cookies para oferecer um serviço mais ágil e personalizado. Ao acessar este site, você concorda com a nossa utilização de cookies. Por favor, leia mais informações sobre os cookies que utilizamos e como excluí-los ou bloqueá-los.

Favoritos E-mail Imprimir esta página

Pesquisa da Deloitte aponta desafios e planos de investimento do empresariado brasileiro até 2015

Panorama Empresarial reúne 352 empresas

São Paulo, 30 de março – Em meio às recentes conquistas do Brasil como sede da Copa do Mundo e da Olimpíada e às descobertas na camada pré-sal, executivos e empresários entrevistados apontaram as atividades de construção (55%), petróleo e gás (54%) e turismo, hotelaria e lazer (28%) como as de maior potencial de crescimento para os próximos anos. Este é um dos pontos levantados na pesquisa realizada pela Deloitte, “Panorama Empresarial 2011 – Visões e expectativas sobre o novo ciclo de crescimento do Brasil”.

Nesta edição, para detectar os fatores que podem ser determinantes ao crescimento do País, o levantamento ampliou a análise das perspectivas dos entrevistados para 2015, ao contrário dos estudos anteriores, que consideravam apenas o período de um ano.

Desta forma, o levantamento permitiu algumas conclusões sobre as expectativas do empresariado para o restante de 2011 e o médio prazo, até 2015:

Destaques do Panorama Empresarial

  • Capital humano como prioridade – reter e desenvolver talentos são hoje o maior desafio das empresas e o principal foco estratégico até 2015
  • Interação com públicos de interesse – ações de relacionamento com clientes, consumidores e fornecedores são as mais eficazes entre as adotadas pelas empresas para superar os desafios do mercado
  • Inovar é preciso – aumenta a busca por parcerias para pesquisas e cresce a participação de novos produtos na geração de receita
  • Marketing e RH – estes são os principais destinos dos novos investimentos
  • Setores em alta – construção, petróleo e gás e turismo são os que mais vão crescer
  • Crescimento sustentável – Brasil não deve crescer mais do que 5% em 2011 e mesmo em 2015, segundo a maioria dos entrevistados
  • Resultados de 2010 – apenas 5% das empresas terminaram o ano sem crescer e só 8% deixaram de fazer investimentos
  • Exportações em baixa – 41% dizem que não vão ampliar suas vendas no exterior mesmo até 2015

O maior desafio apontado pelas empresas, para o curto e médio prazos, é a retenção de capital humano e o desenvolvimento de talentos.

“As mudanças ocorridas no Brasil nos últimos anos têm contribuído para um aquecimento significativo do mercado de trabalho. Isso já se reflete no dia a dia das empresas. E a busca por profissionais qualificados e a retenção dessas pessoas ganharam relevância junto aos empresários”, destaca José Paulo Rocha, sócio-líder da área de Corporate Finance da Deloitte e responsável técnico pela pesquisa. Para ele, o fator “capital humano” passou a ser um diferencial competitivo no contexto econômico vivido pelo Brasil nos últimos anos.

Investimentos

Um total de 27% pretende aumentar seus investimentos entre 5,1% e 10% nos anos de 2010 e 2011. Esse mesmo incremento previsto para 2015 está nos planos de 25% dos entrevistados.

Em 2011, os recursos serão destinados, principalmente, para ações de marketing e comunicação, segundo 70% dos respondentes. Os recursos humanos aparecem em segundo lugar, de acordo com 68% dos participantes.

Os entrevistados apontaram uma perspectiva otimista para o aumento dos investimentos estrangeiros, em 2015, de acordo com 86% das respostas. A internacionalização das empresas foi outro aspecto apontado por 81%. Para 79%, as fusões e aquisições devem aumentar em 2015.

Dentre as empresas pesquisadas, a maior parte pretende lançar mais de 20 produtos e/ou serviços nos próximos anos (43% em 2011 e 34% em 2015).

Com relação ao cenário externo, os entrevistados acreditam na ocorrência de um ou mais episódios de crise no mundo (84%) e também na ascendência política dos países emergentes (85%).

Megaeventos e públicos de interesse

Os entrevistados destacaram como maior desafio para os megaeventos esportivos previstos para os próximos anos a criação de alternativas viáveis de transporte aéreo (76%). A mobilidade urbana foi destacada em 67% das respostas e a segurança ficou em terceiro lugar, com 43%.

Quando questionadas sobre o nível de eficácia das iniciativas adotadas ou a serem adotadas, neste e nos próximos anos, para endereçar os desafios do mercado, as empresas estão valorizando as ações de relacionamento como alternativa, de acordo com o gráfico abaixo:

Panorama Empresarial 2011 - release

Crescimento e desafios econômicos

Para a maioria dos participantes, o crescimento do Brasil em 2011 e no médio prazo, ao final de 2015, não deve superar a marca de 5% ao ano, em linha com a tendência de diminuição do ritmo de expansão, em razão das medidas governamentais pelo controle da inflação.

Já a partir do bom crescimento da economia apresentado em 2010, apenas 5% das empresas terminaram o ano passado sem crescer e só 8% deixaram de fazer investimentos. Já 41% afirmaram que não vão ampliar suas vendas no exterior, mesmo até 2015, como possível reflexo do real valorizado.

Perfil das empresas participantes

O levantamento, realizado entre os dias 16 de dezembro de 2010 e 31 de janeiro de 2011, foi respondido, em sua maioria, por sócios, diretores e presidentes de empresas (59%).

As empresas respondentes mantêm sedes em todo o País: 73% no Sudeste, 18% no Sul, 4% no Nordeste, 4% no Centro-Oeste e 1% no Norte. A amostra é composta em sua maioria por empresas consolidadas no mercado (79% delas atuam há mais de 10 anos) e pouco mais de 50% realiza operações no exterior – exportação e importação são as operações mais praticadas.

Sobre Deloitte

A Deloitte completa, em 2011, 100 anos de atuação no Brasil. A instituição é responsável por disseminar novos conhecimentos para a sociedade e contribuir para o crescimento do País, onde atua desde 1911. Hoje, é uma das líderes de mercado e seus cerca de quatro mil profissionais são reconhecidos pela integridade, competência e habilidade em transformar suas experiências em soluções para os clientes. Suas operações cobrem todo o território nacional, com escritórios em São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Joinville, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife e Salvador.

A instituição oferece serviços nas áreas de Auditoria, Consultoria Tributária, Consultoria em Gestão de Riscos Empresariais, Corporate Finance, Consultoria Empresarial e Outsourcing para clientes dos mais diversos setores. Com uma rede global de firmas-membro em 140 países, a Deloitte reúne habilidades excepcionais e um profundo conhecimento local para ajudar seus clientes a alcançar o melhor desempenho, qualquer que seja o seu segmento ou região de atuação.

© 2011 Deloitte Touche Tohmatsu Limited.

“Deloitte” refere-se à sociedade limitada estabelecida no Reino Unido “Deloitte Touche Tohmatsu Limited” e sua rede de firmas-membros, cada qual constituindo uma pessoa jurídica independente. Acesse www.deloitte.com/about para uma descrição detalhada da estrutura jurídica da Deloitte Touche Tohmatsu Limited e de suas firmas-membros.

Última atualização: 

Contatos:

Nome:
Carla Marcondes
Companhia:
In Press Porter Novelli
Título do trabalho:
Assessora de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro
Telefone:
(11) 3323-1581
E-mail
carla.marcondes@inpresspni.com.br
Nome:
Companhia:
Título do trabalho:
Telefone:
E-mail
Stay connected: