This site uses cookies to provide you with a more responsive and personalized service. By using this site you agree to our use of cookies. Please read our cookie notice for more information on the cookies we use and how to delete or block them.

Bookmark Email Imprimir esta página

Football Money League 2013


Por favor proceda ao download dos anexos  

O Real Madrid tornou-se no primeiro clube mundial, de todos os desportos, a ultrapassar os 500 milhões de euros de receitas em apenas um ano, de acordo com a 16ª edição da Football Money League, da consultora Deloitte. O clube espanhol alcançou 33,1 milhões de euros (7 por cento), um crescimento na receita no total de 512,6 milhões. Pelo oitavo ano consecutivo, o clube garante o primeiro lugar na Money League, igualando o recorde do Manchester United entre as épocas de 1996/97 a 2003/04.

 

As receitas combinadas dos 20 maiores clubes com maiores rendimentos a nível global ultrapassaram os 4 mil milhões de euros (num total de 4,8 mil milhões de euros) na época de 2011/12, um aumento de 10 por cento relativamente ao ano anterior.

 

Dan Jones, sócio no Sports Business Group na Deloitte, comenta: “É um marco impressionante para o Real Madrid ter ultrapassado os 500 milhões de euros de receitas em apenas um ano. O Real abriu portas para uma taxa de crescimento fenomenal alcançada por clubes desportivos de topo, com um aumento de dois dígitos (10 por cento), representando um contínuo e forte desempenho nesta actual conjuntura económica. As receitas combinadas dos 20 maiores clubes quadruplicaram desde que começámos esta análise na época de 1996/97”.

 

“Apesar de oito dos 20 melhores clubes terem registado uma queda na receita em 2011/12, na maioria dos casos deveu-se a uma performance inferior em campo nas competições europeias, e não resultou dos impactos recessivos da crise. Agregados, os 20 clubes da Money League contribuem com mais de um quarto das receitas totais do mercado europeu de futebol. É expectável que o “Top 20” gere mais de 5 mil milhões de euros na época de 2012/13.”

 

Pelo quinto ano consecutivo, os clubes que figuram nos seis primeiros lugares da Money League são Real Madrid, FC Barcelona, Manchester United, Bayern Munich, Chelsea and Arsenal, mantendo-se igualmente a posição relativa entre estes nos últimos 4 anos. O FC Barcelona posiciona-se, mais uma vez, no segundo lugar, pelo quarto ano consecutivo, completando a dupla espanhola que ocupa o topo da Money League.

 

Jones afirma ainda: “Um “Top 6” inalterado realça o facto de estes clubes terem algumas das maiores legiões de fãs e, consequentemente, das mais fortes receitas, em ambos os mercados nacionais e internacionais.”

 

Há uma nova entrada na Money League este ano com o Newcastle United, de Inglaterra, que veio substituir o espanhol Valência. Mais uma vez, a Premier League tem a maior contribuição para a Money League com sete clubes no “Top 20”, cinco dos quais posicionados no “Top 10”. Quatro outros clubes da Premier League estão fora do “Top 20” (Everton, Aston Villa, Fulham e Sunderland).

 

O Manchester City (7º lugar) representa a maior subida deste ano, juntamente com o Borussia Dortmund (11º lugar) e o Nápoles (15º lugar), avançando cinco lugares e reivindicando, pela primeira vez, uma posição do “Top 10”. Os campeões da Premier League e a Juventus substituem o Inter de Milão e o Schalke 04 no “Top 10”.

 

 

Austin Houlihan, um dos directores do Sports Business Group da Deloitte, afirma: “A combinação da vitória da Premier League com a participação na taça UEFA aumentou as receitas desportivas do Manchester City em 51% para 285,6 milhões de euros, o maior crescimento da Money League de qualquer clube profissional, em termos relativos e absolutos. O progresso do clube nas competições inglesas e europeias significa que está determinado em manter-se no “Top 10” dos clubes da Money League no futuro e que vai procurar ultrapassar os dois clubes posicionados imediatamente acima, o Arsenal e Chelsea para o “Top cinco”.”

 

O desempenho do Chelsea, ao tornar-se o primeiro clube londrino a ganhar a UEFA Champions League, permitiu que atingisse o quinto lugar. Contudo, a saída precoce das competições europeias este ano e a condicionantes do Stamford Bridge poderão significar uma descida de posição no ranking do próximo ano.

 

Apesar da queda das receitas ter resultado do facto de não alcançar o primeiro lugar da Premier League, e da saída prematura da UEFA Champions League e da Taça de Inglaterra, o Manchester City continuou a registar grandes progressos nas suas operações comerciais.

 

Houlihan explica: “O Manchester United continua a alavancar o sucesso com a sua marca global. O novo record mundial de um patrocínio de 7 anos da General Motors nas camisolas do Manchester United irá duplicar as receitas que o clube recebe deste novo negócio na época de 2014/15. Este valor, agregado com os novos direitos de transmissão da Premier League em 2013/14, que permitirá receitas adicionais entre os 20 e 30 milhões de libras por clube, vai ajudar o Manchester United a ultrapassar as duas equipas espanholas posicionadas no “Top 2”. Na verdade, os novos contratos da Premier League poderão contribuir para que metade do “Top 20” da Money League seja ocupado por clubes ingleses nos próximos cinco anos”.

 

Sobre o impacto das regras de Financial Fair Play da UEFA, Paul Rawnsley, o director do Sports Business Group da Deloitte, comenta: “Embora a Money League abranja as receitas dos clubes, há um crescente enfoque no futebol europeu em clubes que atinjam níveis mais sustentáveis na relação despesas-receitas, sobretudo, tendo em conta as regras de Financial Fair Play da UEFA.”

 

“As estruturas disciplinadas e responsáveis de governance e a gestão financeira do futebol europeu, que proporcionam uma plataforma para investimento em instalações e desenvolvimento das camadas jovens, devem ser encorajadas.”

 

 

Nota do editor:

Para consultar os resultados completos do Deloitte Football Money League, visite: www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup.

  

The Deloitte Football Money League – Receitas 2011/12 

 

Posição (posição na época anterior)

Clubes

Receitas em 2011/12 (€milhões) (Receitas em 2010/11)

Receitas em 2011/12 (£milhões)
(Receitas em 2010/11)

1 (1)

Real Madrid

512.6 (479.5)

414.7 (433)

2 (2)

FC Barcelona

483 (450.7)

390.8 (407)

3 (3)

Manchester United

395.9 (367)

320.3 (331.4)

4 (4)

Bayern Munich

368.4 (321.4)

298.1 (290.3)

5 (5)

Chelsea

322.6 (253.1)

261 (228.6)

6 (6)

Arsenal

290.3 (251.1)

234.9 (226.8)

7 (12)

Manchester City

285.6 (169.6)

231.1 (153.2)

8 (7)

AC Milan

256.9 (234.8)

207.9 (212)

9 (9)

Liverpool

233.2 (203.3)

188.7 (183.6)

10 (13)

Juventus

195.4 (153.9)

158.1 (139)

11 (16)

Borussia Dortmund

189.1 (138.5)

153 (125.1)

12 (8)

Internazionale

185.9 (211.4)

150.4 (190.9)

13 (11)

Tottenham Hotspur

178.2 (181)

144.2 (163.5)

14 (10)

Schalke 04

174.5 (202.4)

141.2 (182.8)

15 (20)

Napoli

148.4 (114.9)

120.1 (103.8)

16 (14)

Olympique de Marseille

135.7 (150.4)

109.8 (135.8)

17 (17)

Olympique Lyonnais

131.9 (132.8)

106.7 (119.9)

18 (18)

Hamburger SV

121.1 (128.8)

98 (116.3)

19 (15)

AS Roma

115.9 (143.5)

93.8 (129.6)

20 (novo)

Newcastle United

115.3 (98)

93.3 (88.5)

 

Fonte: Relatório Deloitte Football Money League 2013

 

Este comunicado de imprensa baseia-se no estudo Deloitte Football Money League publicado em Janeiro de 2013. Como explicado, com mais detalhe, no documento, os dados das receitas, relativos à época 2011/2012, são retirados dos relatórios financeiros dos clubes ou obtidos através de outras fontes directas dos clubes.

 

Existem várias formas de analisar o peso relativo, riqueza ou valor dos clubes de futebol. Para a Deloitte Football Money League, as receitas foram usadas como a forma mais fácil de comparar o desempenho financeiro dos clubes.

 

As receitas não incluem os valores de transferências de jogadores, IVA e outros impostos sobre vendas. Nalguns casos, foram feitos ajustamentos de modo a permitir, de acordo com a nossa visão, uma comparação mais significativa do negócio do futebol clube a clube. Por exemplo, quando estávamos em poder dessa informação, as actividades não relacionadas com futebol e outras transacções foram excluídas das receitas.

 

Não verificámos ou auditámos nenhuma da informação contida nos relatórios financeiros fornecidos pelos clubes e de outras fontes para esta publicação.

 

De modo a possibilitar comparações, todos os dados são apresentados segundo as taxas de câmbio em vigor a 30 de Junho de 2012 (£1 = €1.236). Os dados de comparação foram extraídos de edições anteriores da Deloitte Football Money League.

Ainda este ano será publicado o Deloitte Annual Review of Football Finance, uma análise mais detalhada da conjuntura financeira do futebol inglês e europeu.

Sobre o Sports Business Group da Deloitte

Nos últimos vinte anos, a Deloitte desenvolveu um foco único sobre o negócio do desporto. O nosso Sport Business Group oferece um serviço especializado multidisciplinar com pessoas dedicadas e competências capazes de agregar valor significativo aos negócios do desporto. Trabalhámos com mais clubes do que qualquer outra consultora em áreas como benchmarking, revisões estratégicas de negócio, mudanças operacionais, estratégias de aumento de receitas ou planos de desenvolvimento de estádios, planeamento de negócios, análise de mercado ou aquisições, due dilligences, especialização em arbitragem auditoria ou planeamento fiscal.

Para mais informações sobre os nossos serviços visite: www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup.

About Deloitte

“Deloitte” refere-se à Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada de responsabilidade limitada do Reino Unido, ou a uma ou mais entidades da sua rede de firmas membro, sendo cada uma delas uma entidade legal separada e independente. Para aceder à descrição detalhada da estrutura legal da Deloitte Touche Tohmatsu Limited e suas firmas membro consulte www.deloitte.com/pt/about.

A Deloitte presta serviços de auditoria, consultoria fiscal, consultoria, corporate finance a clientes nos mais diversos sectores de actividade. Com uma rede, globalmente ligada, de firmas membro, em mais de 150 países, a Deloitte combina competências de elevado nível com oferta de serviços qualificados, conferindo aos clientes o conhecimento que lhes permite abordar os desafios mais complexos dos seus negócios. Os aproximadamente 182.000 profissionais da Deloitte empenham-se continuamente para serem o padrão da excelência.

Contactos

Nome:
Marketing
Empresa:
Deloitte & Associados, SROC, S.A.
Posição:
Telefone:
Email
ptcorporatemarketing@deloitte.pt