This site uses cookies to provide you with a more responsive and personalized service. By using this site you agree to our use of cookies. Please read our cookie notice for more information on the cookies we use and how to delete or block them.

Bookmark Email Imprimir esta página

Annual Review of Football Finance 2013

Conclusões do Sports Bussiness Group da Deloitte para a época 2010/11

Apesar da crescente depressão económica, o mercado europeu de futebol continua a registar um desempenho positivo com o crescimento das receitas a chegar aos 11% (1,9 mil milhões de euros) e a atingir os 19,4 mil milhões de euros em 2011/12. Uma meta largamente alcançada apelos resultados das cinco grandes ligas europeias (Bundesliga, La Liga, Ligue 1, Premier League e Serie A) e em virtude do impacto do Euro 2012. As cinco grandes ligas atingiram um total de 9,3 mil milhões de euros (48%) em receitas, o que demonstra a atractividade comercial dos principais clubes e competições.

Dan Jones, partner do Sports Business Group da Deloitte, comenta: “Cada uma das grandes ligas conseguiu atingir níveis record de receitas em 2011/12, o que leva a um aumento de 685 milhões de euros (8%) quando comparadas com a época de 2010/11. As receitas totais destas ligas ultrapassarão provavelmente os 10 mil milhões de euros dentro dos próximos dois anos, o dobro das receitas registadas em 2001/02”.

A Premier League manteve-se como a liga com o nível mais elevado de receitas, com os seus clubes a crescerem 87 milhões de libras (4%) para um total de 2360 milhões de libras em 2011/12. Em euros, o crescimento foi ainda mais evidente devido à valorização da libra face à moeda europeia. Isto levou a um crescimento no valor de 400 milhões (16%) para os 2,9 mil milhões de euros e restabeleceu a diferença para o seu rival mais próximo, a Bundesliga, em mais de mil milhões de euros. Os novos contratos de transmissão por mais três anos, respeitantes ao início da época 2013/14, com um valor de mais de 5,5 mil milhões de libras, irão garantir que a Premier League se venha a mantar no futuro como líder isolada em termos de receitas no mercado de futebol.

Ao atingir um crescimento de receitas na ordem dos 126 milhões de euros (7%) alcançando os 1.872 milhões de euros em 2011/12, a Bundesliga aumentou a distância para a espanhola La Liga de 27 para 107 milhões de euros. Em moeda local, este representou o maior aumento absoluto entre as cinco grandes ligas em 2011/12, com mais de três quartos deste crescimento a ser conquistado pelos dois maiores clubes alemães, Bayern Munique e Borussia Dortmund.

Jones sublinha: “A Bundesliga parece bem colocada para manter a sua posição de rival mais próxima da Premier League no que respeita às receitas. O seu crescimento futuro será conduzido por novos e mais lucrativos contratos de transmissão de jogos a arrancar na época 2013/14 e por um crescente sucesso na expansão para o mercado internacional graças à final alemã da Liga dos Campeões”.
A La Liga atingiu um crescimento de 46 milhões de euros (3%) para os 1.765 milhões em 2011/12, com um forte contraste entre o Real Madrid e o Barcelona para as restantes equipas. Enquanto os dois grandes atingiram um crescimento de receitas agregadas de 65 milhões de euros (7%), os restantes 18 clubes obtiveram uma queda de 19 milhões (2%) nas suas receitas.

Os 17 milhões de euros de crescimento de receitas (1%) da Serie A revelou-se o mais baixo das cinco grandes em 2011/12, com as receitas totais da liga a atingir os 1,57 milhões. As equipas italianas continuam fortemente resistentes aos contratos de transmissão. As receitas de bilheteira  e as receitas comerciais foram severamente penalizadas pela contracção do consumo. A experiência positiva da Juventus ao mudar-se para um novo estádio em 2011, que deu origem a um aumento de receitas de 40 milhões de euros (61%) na bilheteira e nas receitas comerciais, demonstra a oportunidade para os restantes clubes italianos.

Os custos salariais combinados das cinco grandes ligas atingiram os 6,1 mil milhões de euros em 2011/12, mais de 430 milhões (8%) do que em 2010/11 e representam um aumento ligeiramente mais lento quando comparado com o aumento das receitas.

Os salários da Premier League permaneceram os melhores entre as cinco grandes. Totalizando 2.049 milhões, foram 870 milhões de euros (74%) mais elevados do que a sua rival mais próxima Serie A. Esta diferença atingirá provavelmente os mil milhões de euros no futuro à medida que o poder de gastos dos clubes da Premier League aumentar devido aos novos contratos de transmissão.

Os salários dos clubes da Premier League cresceram 4% em moeda local na época 2011/12, enquanto que os clubes da Bundesliga (953 milhões) e da La Liga (1.057 milhões) cresceram 3%. Na Serie A cresceram 2% (1.179 milhões). A Ligue 1 registou o mais rápido crescimento, com os custos salariais a aumentar 8% (64 milhões) atingindo os 841 milhões. Cerca de três quartos (47 milhões) dos custos salariais da Ligue 1 são do Paris Saint-Germain, mas o crescimento das receitas demonstra que o rácio dos salários e das receitas caiu dos 69% para os 53%.

A Bundesliga manteve-se como a liga mais rentável com um aumento dos lucros operacionais. Os seus clubes geraram 190 milhões de euros na época 2011/12, com 19 milhões de euros de aumento face à época anterior. Registaram-se também melhorias nos resultados operacionais em Inglaterra (40 milhões, de 49%) e em França (30 milhões, de 31%). A Serie A permanece a mais pobre entre as cinco grandes em termos de lucros operacionais, com as perdas dos seus clubes a aumentarem em 11 milhões (7%) na época 2011/12.

Adam Bull, Senior Consultant da equipa de Sports Business Group da Deloitte, comentou: “Os resultados operacionais melhoraram em Inglaterra, França e Alemanha, o que poderá ser um sinal do desejo dos clubes em atingir um balanço mais sustentável entre os seus níveis de despesa e de criação de receitas, tendo sido esta a primeira época elegível para o cálculo de break-even do UEFA Financial Fair Play.”

• Controlo de custos continua a ser um dos grandes desafios, embora se verifiquem sinais de melhoria

  • As receitas comerciais foram as principais dinamizadoras do crescimento das receitas das cinco grandes ligas em 2011/12. O seu crescimento de 394 milhões de euros (15%) representou 58% do total de crescimento e permitiu exceder, pela primeira vez, os 3 mil milhões de euros.
  • As receitas de transmissão de jogos mantêm-se, confortavelmente, como as que mais contribuem para o total de receitas das cinco grandes ligas, com 4,3 mil milhões de euros (47% do total). Estes resultados têm vindo a ser reafirmados pelos novos e melhores contratos de transmissão da Bundesliga e da Premier League em 2013/14.
  • As receitas de bilheteira, que atingiram os 1,9 mil milhões de euros em 2011/12 e representaram 20% do total de receitas das cinco grandes ligas, continuam a sofrer com as condições económicas adversas, registando o mais baixo crescimento entre as três fontes de receitas.
  • A assistência média em cada jogo na época 2010/11 cresceu 5% na Bundesliga (para os 44.293) e na La Liga (para os 26.050). A assistência aos jogos da Premier League reduziu ligeiramente (para os 34.646), embora os estádios tenham permanecido muito próximos da lotação total (93%), o que se prevê que conduza a um aumento em 2012/13 para uma média de 35.906 (95% de utilização). A assistência média na Serie A (22.005) e na Ligue 1 (18.869) caiu pelo terceiro e quarto ano consecutivo, respectivamente.
  • Fora dos cinco grandes países, a Rússia (636 milhões de euros), a Turquia (444 milhões de euros) e a Holanda (434 milhões de euros) tiveram o maior aumento de receitas entre as ligas europeias.
  • A Football League Championship (segunda divisão de Inglaterra) mantém-se na qualidade de  liga de segunda linha que mais receitas gerou em 2011/12 (588 milhões).
  • O Campeonato Brasileiro Série A é líder de receitas fora da Europa com os seus clubes a gerarem perto de 880 milhões de euros em 2012.

Sobre o Sports Business Group da Deloitte

Nos últimos vinte anos, a Deloitte desenvolveu um foco único sobre o negócio do desporto. O nosso Sport Business Group oferece um serviço especializado multidisciplinar com pessoas dedicadas e competências capazes de agregar valor significativo aos negócios do desporto. Trabalhámos com mais clubes do que qualquer outra consultora em áreas comobenchmarking, revisões estratégicas de negócio, mudanças operacionais, estratégias de aumento de receitas ou planos de desenvolvimento de estádios, planeamento de negócios, análise de mercado ou aquisições, due dilligences, especialização em arbitragem auditoria ou planeamento fiscal.

Para mais informações sobre os nossos serviços visite: www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup.

Sobre a Deloitte
“Deloitte” refere-se à Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada de responsabilidade limitada do Reino Unido, ou a uma ou mais entidades da sua rede de firmas membro, sendo cada uma delas uma entidade legal separada e independente. Para aceder à descrição detalhada da estrutura legal da Deloitte Touche Tohmatsu Limited e suas firmas membro consulte www.deloitte.com/pt/about.

A Deloitte presta serviços de auditoria, consultoria fiscal, consultoria, corporate finance a clientes nos mais diversos sectores de actividade. Com uma rede, globalmente ligada, de firmas membro, em mais de 150 países, a Deloitte combina competências de elevado nível com oferta de serviços qualificados, conferindo aos clientes o conhecimento que lhes permite abordar os desafios mais complexos dos seus negócios. Os cerca de 200.000 profissionais da Deloitte empenham-se continuamente para serem o padrão da excelência.

Contactos

Nome:
Marketing
Empresa:
Deloitte & Associados, SROC, S.A.
Posição:
Telefone:
Email
ptcorporatemarketing@deloitte.pt