This site uses cookies to provide you with a more responsive and personalized service. By using this site you agree to our use of cookies. Please read our cookie notice for more information on the cookies we use and how to delete or block them.

Bookmark Email Imprimir esta página

Mensagem do Presidente do Júri

É do conhecimento empírico – para além de ser igualmente intuitivo - que existe uma correlação positiva entre o grau de desenvolvimento económico e o nível de bem-estar social de uma dada comunidade, de um lado, e o papel que o mercado de capitais tem no financiamento da respectiva economia, do outro. 

A humanidade tem percepcionado, em particular nos últimos dois séculos, que o financiamento desintermediado - isto é, a canalização directa do aforro para o processo produtivo - consegue índices de eficiência superiores. Para que assim aconteça tem de existir uma cultura e um quadro de referências que têm por base valores e princípios sem os quais não se gera nos agentes económicos a confiança necessária para que o aforrador aceite como virtuoso um interface directo com o empreendedor/gestor. 

A qualidade do reporte financeiro, o papel das recomendações de boas práticas no governo das empresas, a função dos auditores externos, a qualidade dos reguladores e a integridade dos profissionais que zelam pela transparência e pelo rigor dos mercados, o papel dos analistas financeiros ou dos Investor Relations, são, dentre outros, elementos e contributos decisivos que compõem um todo que se quer coerente, capaz de sedimentar uma cultura de mercado baseada em responsabilidade e na busca dos comportamentos de excelência. 

Esses comportamentos não gozam, felizmente, da ambiguidade da prescrição. Sobrevivem para além dos seus autores e fazem, com o passar do tempo, um caminho que nos convoca pelo exemplo. 

O Júri do IRGA foi uma vez mais chamado a cumprir a missão de escolher os melhores entre os melhores. Um desafio que assume com a determinação e a serenidade próprias de quem se guia por critérios de equidade e independência. Assim foi uma vez mais e, mau grado os momentos difíceis que a economia nacional tem atravessado, sempre existem, em qualidade e número, exemplos de excelência e de rigor que devem ser enaltecidos e seguidos como referências por todos nós. 

A Deloitte dá continuidade, nesta 27ª edição dos Prémios IRGA – Investor Relations & Governance Awards, à incansável e meritória tarefa de divulgação desses comportamentos de excelência. Sem esse esforço de 27 anos, a história do sistema financeiro e empresarial nacional estaria bem mais pobre e este exemplo de perseverança e de determinação merece uma especial referência. Pelo que, a organização e os premiados têm a nossa admiração e as vivas felicitações.


Manuel Alves Monteiro
Presidente do Júri , IRG Awards
Maio de 2014