Este site utiliza cookies para oferecer um serviço mais ágil e personalizado. Ao acessar este site, você concorda com a nossa utilização de cookies. Por favor, leia mais informações sobre os cookies que utilizamos e como excluí-los ou bloqueá-los.

Favoritos E-mail Imprimir esta página

Brasileiros estão mais cautelosos e pretendem diminuir os gastos para o Natal


DOWNLOAD  

Entrevistados vão pesquisar mais antes de comprar e diminuirão o preço médio dos presentes. 37% deles farão suas compras pela internet, por meio de tablets e celulares, segundo pesquisa anual da Deloitte

São Paulo, 28 de novembro de 2012 - Apesar dos consumidores brasileiros - de todas as classes sociais e regiões - informarem que possuem situação financeira um pouco melhor e estabilidade no emprego, bem como acreditarem que a situação econômica do País é estável, serão mais prudentes nas compras para as festas de final de ano. Metade dos respondentes querem gastar menos em presentes e o valor médio de cada compra deve ficar entre R$ 10 e R$ 30. Em 2011, o gasto médio foi entre R$ 50 e R$ 99. Para uma boa parte dos brasileiros (39%), especialmente os das classes C, D e E, o 13º salário servirá para quitar dívidas, e outros 25% querem aproveitar este dinheiro para economizar (sobretudo as classes A e B).

Estes resultados são parte da “Pesquisa de Natal 2012- Intenções e expectativas do consumidor brasileiro” realizada pela Deloitte com  750 consumidores durante o mês de novembro. A visível cautela não afetará a quantidade de presentes, serão em média cinco por consumidor, sendo que os cônjuges, seguidos pelos filhos, receberão os mais caros.

O estudo detectou ainda uma importante mudança de hábito: 55% das pessoas pesquisarão mais antes de efetuar suas compras. “Em contradição com o conhecido otimismo e o pensamento imediatista do brasileiro, os consumidores realizarão mais pesquisas com o objetivo de encontrar o menor preço, mesmo mais seguros em relação ao emprego e com a situação financeira um pouco melhor. Este é um sinal de que vêm amadurecendo na forma de gastar e pensando mais em longo prazo. Querem também economizar e estão mudando os tipos de gastos e buscando mais informações sobre os produtos e lojas”, avalia Reynaldo Saad, sócio-líder para o atendimento às empresas do setor varejista da Deloitte.

Internet – mobile e tablet

Apesar das lojas de departamento e shopping ainda representarem os principais canais de venda para as compras de final de ano, especialmente para as classes A, B e C, 70% dos respondentes também utilizarão a internet para realizar parte de suas compras; 66% deles comprarão via sites de lojas de departamento e 39% por sites de compra coletiva. Como esperado, os jovens, entre 18 e 29 anos, são os que mais pretendem fazer compras online: 55% contra 46% na faixa de 45 a 60 anos.

Mas o destaque deste ano serão as compras online por meio de tablets ou mobile (celulares, por exemplo) com 37% das respostas. “Esse comportamento é diferente do ano anterior, quando esses equipamentos eram bem menos utilizados. Além disso, 22% dos consumidores utilizarão as redes sociais como parte do processo de compra. Isso indica que o brasileiro vem adquirindo hábitos de consumo mais próximos de países onde a mobilidade é muito mais comum, como Estados Unidos”, acredita Saad.

Meios de pagamentos

Assim como em 2011, o dinheiro continua sendo o principal meio de pagamento para 75% dos respondentes.  As classes D e E são as que mais o utilizam (78%). Já nas regiões Sul e Sudeste, ele é utilizado por 81% e 77% dos respondentes, respectivamente.

Já o cartão de crédito, utilizado por 39% dos respondentes, é a forma de pagamento preferida entre as classes A e B: 53% dos respondentes dessa faixa usarão esse tipo de pagamento. Entre as regiões brasileiras, o Nordeste se destaca em 2012, como a que utiliza mais essa forma de pagamento: 44% dos respondentes farão compras com o cartão, mas com pagamento em apenas uma parcela.

Como o consumidor gasta

Além de pesquisar mais, com a intenção de gastar menos nesse Natal, o brasileiro está também diversificando seus gastos. Segundo o levantamento da Deloitte, mesmo priorizando os presentes e as ceias (68% e 65% da amostra, respectivamente), os consumidores têm a intenção de investir seu dinheiro em outros meios: em melhorias ou reparações na moradia (55%). A faixa etária de 18 a 29 anos é que mais deve priorizar esses reparos (60%); e, viagens e passeios (47%), dentre eles, os idosos são os que mais gastarão com viagens (57%).

Presentes

A maioria dos entrevistados, 46%, deve fazer as compras na primeira semana de dezembro, que coincide com o recebimento do 13º salário. Aparelhos eletrônicos, tablets, celulares e computadores são os itens mais desejados pelos consumidores (39%), ao passo que estes mesmos itens serão comprados por apenas 26% deles. Entretanto, os itens que devem ser mais comprados são: roupas (80%); sapatos (49%); cosméticos, perfumes e cuidados pessoais (46%).

Amostra da pesquisa

Entre os 750 respondentes, 53% são do sexo feminino e 47% do masculino. Do total, 5% possuem renda de até R$ 650, 21% entre R$ 671 e R$ 1.300, 24% estão entre R$ 1.301,00 e R$ 2.500,00, enquanto 25% estão entre R$ 1.250,00 e R$ 4.000,00 e 10% entre R$ 5.401,00 e R$ 8.000,00.

Última atualização: 

Contatos:

Nome:
Carolina Bessa
Companhia:
In Press Porter Nevelli
Título do trabalho:
Assessora de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro
Telefone:
(11) 3323-1581
E-mail
carolina.bessa@inpresspni.com.br
Nome:
Companhia:
Título do trabalho:
Telefone:
E-mail
Nome:
Júlia Borba
Companhia:
In Press Porter Novelli
Título do trabalho:
Telefone:
(21) 3723-8174
E-mail
julia.borba@inpresspni.com.br
Stay connected: