Este site utiliza cookies para oferecer um serviço mais ágil e personalizado. Ao acessar este site, você concorda com a nossa utilização de cookies. Por favor, leia mais informações sobre os cookies que utilizamos e como excluí-los ou bloqueá-los.

Favoritos E-mail Imprimir esta página

Corinthians, São Paulo e Flamengo estão entre os 50 clubes com maiores receitas do mundo

Pesquisa da Deloitte aponta que o Corinthians tem a maior receita de clubes fora da Europa, com 94,1 milhões de euros

São Paulo, 24 de janeiro de 2013 – A Deloitte apresenta a 16ª edição da pesquisa Football Money League, que reúne os clubes de futebol com maiores receitas do mundo. Os 20 primeiros clubes do ranking somaram 4,8 bilhões de euros, um crescimento de 10% sobre o período anterior. Três clubes brasileiros figuram na lista dos top 50: Corinthians, São Paulo e Flamengo.

O primeiro colocado da lista é o Real Madrid. O clube espanhol também é o primeiro a superar a marca dos 500 milhões de euros de receita em uma única temporada, graças a um aumento de 33,1 milhões de euros (7%), chegando a uma receita de € 512,6 milhões. Com isso, assumiu, pela oitava vez, a primeira posição no ranking, igualando o recorde do clube inglês Manchester United (da temporada 1996/97 à 2003/04).

O Corinthians é o clube não europeu mais bem colocado na lista. Está entre os 40 melhores do mundo, com uma receita de 94,1 milhões de euros gerada em 2011 (excluindo as transferências de jogadores). “As vitórias do Corinthians em 2012, na Copa Libertadores da América e no Mundial de Clubes, serão fundamentais para o crescimento financeiro do clube. As competições são excelentes para visibilidade e para novos acordos comerciais e promoções”, aponta o líder global do Sports Business Group da Deloitte, Dan Jones.

Os clubes brasileiros que completam a lista dos top 50 são: o São Paulo, com receita de 82,5 milhões de euros, e o Flamengo, com receita de 73,9 milhões de euros.

“Com grande número de apoiadores locais e a economia crescente, os clubes brasileiros estão cada vez mais atraentes para os parceiros comerciais e, dessa maneira, a geração de receita corresponde cada vez mais as dos clubes europeus. Recentes contratos entre os principais clubes brasileiros e grandes marcas esportivas são exemplos dessa parceria”, explicou Jones.

Corinthians, Flamengo e São Paulo anunciaram recentemente Nike (renovação), Adidas e Penalty, respectivamente, como seus fornecedores de material esportivo. Os valores dos contratos são similares aos praticados por alguns dos clubes que estão no top 20 da pesquisa da Deloitte.

“O apelo dos clubes brasileiros fica ainda mais forte quando as marcas conseguem estar associadas a contratações de grandes jogadores que tenham passado pelos principais clubes da Europa. Essas contratações também valorizam o campeonato brasileiro mundialmente, como a chegada de Seedorf ao Botafogo e, agora, de Pato ao Corinthians”, acrescentou Dan.

John Auton, sócio que lidera a estrutura de Sport Business da Deloitte no Brasil, comenta: "O orgulho local e da publicidade global que envolve as contratações de jogadores pode proporcionar significativa exposição para os patrocinadores, fornecedores de material esportivos e outros parceiros comerciais.”

Apesar da paixão nacional pelo futebol e grandes populações urbanas, o público médio para a temporada 2012, na Série A do Brasileiro foi de aproximadamente 13 mil pessoas. Por exemplo, a média de público da Bundesliga (Campeonato Alemão) foi de 45 mil torcedores na temporada 2011/12.

“Os investimentos nos estádios brasileiros para a Copa de 2014, serão uma excelente oportunidade para os clubes melhorarem a média de público nos jogos e conseguirem manter uma regularidade de torcedores presentes nos jogos”, afirma o consultor do Sports Business Group da Deloitte, Richard Battle.

"Esperamos que as receitas dos clubes brasileiros continuem crescendo e dessa maneira será possível que um deles figure no top 20 do ranking nos próximos anos. Com uma receita equivalente a dos clubes europeus também será cada vez menos difícil manter os principais jogadores no Brasil e trazer estrelas do futebol mundial para jogar no País”, complementa Battle.

Deloitte Football Money League – 2011/12

Para ter acesso aos principais resultados da pesquisa Deloitte Football Money League, acesse: www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup

Os 20 clubes com as maiores receitas

Posição atual (posição na edição passada)

Clube

Receitas em 2011/12 (receitas em 2010/11) – em milhões de euros

1 (1)

Real Madrid

512,6 (479,5)

2 (2)

Barcelona

483,0 (450,7)

3 (3)

Manchester United

395,9 (367,0)

4 (4)

Bayern de Munique

368,4 (321,4)

5 (5)

Chelsea

322,6 (253,1)

6 (6)

Arsenal

290,3 (251,1)

7 (12)

Manchester City

285,6 (169,6)

8 (7)

Milan

256,9 (234,8)

9 (9)

Liverpool

233,2 (203,3)

10 (13)

Juventus

195,4 (153,9)

11 (16)

Borussia Dortmund

189,1 (138,5)

12 (8)

Internazionale

185,9 (211,4)

13 (11)

Tottenham Hotspur

178,2 (181,0)

14 (10)

Schalke 04

174,5 (202,4)

15 (20)

Napoli

148,4 (114,9)

16 (14)

Olympique de Marselha

135,7 (150,4)

17 (17)

Olympique de Lyon

131,9 (132,8)

18 (18)

Hamburgo

121,1 (128,8)

19 (15)

Roma

115,9 (143,5)

20 (-)

Newcastle United

115,3 (98,0)

Fonte: Deloitte Football Money League 2013

Última atualização: 

Contatos:

Nome:
Patricia Bartuira
Companhia:
In Press Porter Novelli
Título do trabalho:
Assessora de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro
Telefone:
(11) 3323-1571
E-mail
patricia.bartuira@inpresspni.com.br
Nome:
Júlia Borba
Companhia:
In Press Porter Novelli
Título do trabalho:
Telefone:
(21) 3723-8174
E-mail
julia.borba@inpresspni.com.br

Links relacionados

Stay connected: